Câncer de Mama

  • Home
  • Câncer de Mama
0800 777 00 80  /  (19) 99351-5109  /          

Câncer de Mama

Postado em 04/06/2014


Câncer de mama é uma doença que mais acomete as mulheres. Ser portadora dos genes  BRCA1 e BRCA2 é um fator de risco importante. Outros fatores colaboram para a manifestação da doença como: histórico familiar, obesidade, mulheres que tiveram uma gestação tardia, reposição hormonal, menstruação precoce (antes de completar 12 anos) e a menopausa iniciada com a idade acima dos 50 anos.

Mas a doença pode se desenvolver em pessoas que não apresentam nenhuma dessas características.

Sintomas:
O sintoma mais comum de câncer de mama é o aparecimento de um caroço. Nódulos que são indolores, duros e irregulares têm mais chances de ser malignos, mas há tumores que são macios e arredondados. Portanto, é importante ir ao médico. Outros sinais de câncer de mama incluem:

- Inchaço em parte do seio;

- Irritação da pele ou aparecimento de irregularidades, como covinhas ou franzidos, ou que fazem a pele se assemelhar à casca de uma laranja;

- Dor no mamilo ou inversão do mamilo (para dentro);

- Vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele da mama;

- Saída de secreção (que não leite) pelo mamilo;

- Caroço nas axilas.

Diagnóstico:
A mamografia (raios-X das mamas) é o exame mais indicado para detectar precocemente a presença de nódulos nas mamas. O exame clínico e outros exames de imagem e laboratoriais também auxiliam a estabelecer o diagnóstico de certeza.

O autoexame das mamas deve ser realizado todo mês, entre o sétimo e oitavo dia depois do início da menstruação, independente da idade, essa é uma medida que auxilia na descoberta de possíveis nódulos.

Tratamento:
As formas de tratamento variam conforme o tipo e o estadiamento do câncer. Os mais indicados são:
- Mastectomia (retirada da mama)
- Remoção (apenas do tumor)
- Hormonoterapia
- Quimioterapia
- Radioterapia

O câncer de mama é a causa de 11 mil óbitos por ano de acordo com o Instituto Nacional de Câncer, ressaltamos que quanto mais cedo descoberto, o tratamento se torna mais eficiente e as chances de cura são maiores. 

Fonte: http://www.ibcc.org.br/duvida/especialidades-medicas/mastologia-cancer-de-mama/2/23/